sexta-feira, 18 de setembro de 2009

OS ACTORES - Quem são eles?

Noomi Rapace

Em “Millennium 1: Os Homens que Odeiam as Mulheres” o papel da hacker Lisbeth Salander é interpretado pela actriz sueca Noomi Rapace. Nascida a 28 de Dezembro de 1979, Noomi é filha de Rogelio Durán, um célebre cantor espanhol. A sua infância foi passada na Islândia, onde viveu com a mãe e o padrasto. Aos 7 anos estreou-se no cinema, com o filme “Í skugga hrafnsins” de Hrafn Gunnlaugsson. Embora tenha sido apenas um pequeno papel sem falas, foi esta experiência que levou a pequena Noomi a sonhar com uma carreira de actriz. A oportunidade chegou quando, em 1996, interpretou Lucinda Gonzales na série televisiva “Tre kronor”. Noomi Rapace é casada com o também actor Ola Rapace.

Apesar de já não ser novata nestas andanças e do seu envolvimento no teatro, foi a irreverente Lisbeth Salander que a catapultou para a fama. A actriz, que é descrita por Niels Arden Oplev, realizador do filme, como “explosiva”, está a dar que falar. A propósito da sua passagem por Cannes com “Millennium 1”, o "The Hollywood Reporter" escreveu: "Esqueçam Lars von Trier. A maior estrela escandinava em Cannes este ano é Noomi Rapace." Para desempenhar este papel, Noomi Rapace aprendeu técnicas de combate, tirou a carta de motociclos, cortou o cabelo e emagreceu. Apesar de todos estes sacrifícios, a actriz mantém que só está interessada em papéis complicados e não quer fazer “comédias românticas tontas”. Esperamos para ver.


Michael Nyqvist

O nome de Michael Nyqvist parece semelhante ao da sua personagem, o jornalista Mikael Blomkvist. Nascido a 8 de Outubro de 1960 em Estocolmo, o actor sueco passou grande parte da infância a fazer o que é normal para um rapaz: jogava hóquei no Inverno e futebol no Verão. Aos 17 anos, foi estudar para Omaha, no estado do Nebraska, e foi aí que pela primeira vez teve aulas de representação, sendo um dos seus primeiros papéis em “A Morte de um Caixeiro-viajante” de Arthur Miller. Quando regressou à Suécia, foi aceite na Escola de Ballet. Mas após um ano de “pliés” e piruetas, compreendeu que a dança não era a sua verdadeira vocação. Aos 19 anos, e aconselhado por uma ex-namorada, Michael entrou para a Escola de Teatro sueca.

Terminados os estudos, Michael Nyqvist trabalhou sobretudo em teatro, mas foi conseguindo pequenos papéis em algumas produções cinematográficas. A sua grande oportunidade surgiu em 2000 com “Together” de Lukas Moodysson, que alcançou um grande sucesso internacional. Depois disso, desempenhou papéis principiais numa série de filmes vencedores de prémios, tais como “Grabben I Graven Bredvid” de Kjell Sundvall, “As it is in Heaven” de Kay Pollak e “Sundenly” de Johan Brisinger. Hoje é um dos mais acarinhados actores suecos, tendo recebido inúmeros prémios, alguns muito importantes, como é o caso do Guldbagge (equivalente sueco para o Óscar) de Melhor Actor.

Sem comentários:

Publicar um comentário